Luisa Macedo

 

Você já ouviu falar em Efeito Sanfona? Hoje em dia é comum entre aqueles que buscam por um estilo de vida mais saudável e enfrentam dificuldade em manter o peso perdido. Em tempos onde o culto ao corpo parece ser prioridade, muitos optam por dietas altamente restritivas com o objetivo de perder o máximo de peso possível, independente da sua qualidade. E é aí onde mora o perigo.

Efeito Sanfona e o perigo para a saúde.

O efeito sanfona é um processo contínuo de perda e reganho de peso, geralmente associado a dietas altamente restritivas e/ou medicamentos, o que torna o processo de emagrecimento cada vez mais difícil. Quem sofre com o efeito sanfona acaba tendo que lutar contra o sentimento de frustração e a dúvida em relação ao que pode ter feito de errado.

 

É necessário entender os danos que esse efeito pode causar para a saúde. Ele afeta de forma nociva órgãos como o fígado e também as células adiposas (que crescem após o reganho de peso, facilitando o aumento de gordura localizada). Outra conseqüência do efeito sanfona é o aumento considerável do cortisol, popularmente conhecido com o hormônio do estresse. O aumento desse hormônio pode causar queda de imunidade constante, diminuição da massa muscular e insônia.

 

Um ponto importante a ser citado é a redução drástica no metabolismo, principalmente nos casos em que a dieta restritiva é feita a longo prazo. Em outras palavras, o seu organismo acaba queimando menos calorias em repouso, o que facilita o ganho de peso quando a alimentação voltar ao normal.

Privação gera compulsão

Conhece aquela frase: Privação gera compulsão? Pois bem. Quando pensamos em efeito sanfona, podemos associar diretamente o processo de privação com a compulsão alimentar. Geralmente o que acontece com a maioria das pessoas que seguem as famosas dietas da moda sem o acompanhamento profissional (LowCarb, jejum intermitente, detox, dieta cetogênica, exclusão de glúten ou lactose..) é a privação de certos alimentos. Essa restrição não pode ser levada pelo resto da vida e a partir do momento em que você reintroduzir a sua alimentação normal, a compulsão vem logo em seguida, fazendo com que o reganho de peso aconteça de forma rápida e intensa.

 

É importante ressaltar é que essas dietas não devem ser consideradas “estilo de vida” ou feitas por tempo indeterminado, muito menos sem um acompanhamento profissional. Então uma dica importante é não se privar, mas sim saber dosar a frequência e quantidade com que certos alimentos devem ser consumidos.

Reeducação alimentar

Então como podemos perder peso e manter essa perda a longo prazo? Simples: vamos reeducar a nossa alimentação. Em tempos onde todos são reféns da correria do dia a dia, buscamos pela praticidade na hora de se alimentar e somos obrigados a consumir todas as refeições fora de casa. Assim, pela facilidade, acabamos consumindo muitos alimentos industrializados, ricos em aditivos químicos, sódio, açúcar e conservantes, de forma que a alimentação da maioria da população ocidental acaba sendo pobre em nutrientes.

 

Reeducar a alimentação é algo que pode levar tempo, mas é a maneira mais eficiente de perder peso de forma saudável, coerente e correta, mantendo com mais facilidade o peso perdido. Aumente o consumo de frutas, legumes, verduras, oleaginosas, leguminosas, grãos integrais e ovos. Diminua a busca por alimentos como biscoitos prontos, barrinhas de cereais, alimentos à base de farinha de trigo refinada, alimentos diet e light. Quanto mais natural, melhor.

Atividade física

Além da dieta, a atividade física é um fator imprescindível quando pensamos em manter o peso perdido. É aquela história: se você quer ter um corpo malhado, você vai ter que malhar! Além de ser necessária para a perda de peso, a atividade física é essencial para manter a saúde. Ajuda no combate de doenças crônicas não transmissíveis (diabetes tipo 2, hipertensão, obesidade e doenças cardiovasculares), melhora o humor e a sensação de bem-estar, além de aumentar a longevidade. Lembre-se que atividade física vai muito além das academias, uma dica é buscar um exercício que você goste de fazer, unindo o útil ao agradável.  O importante é não fique parado.

Buscando a ajuda de um profissional

Apesar de toda informação que temos acesso, quando pensamos em planejamento e reeducação alimentar, a melhor maneira de manter o peso perdido é buscar a ajuda de um profissional qualificado. Cada pessoa tem um biotipo diferente, por isso a dieta e suas possíveis restrições devem ser pensadas individualmente. O nutricionista é responsável pelo planejamento alimentar coerente e individual de cada paciente, então sempre que achar necessário procure por um acompanhamento!